Pages Navigation Menu

A loira italiana conquista o mercado

Cada vez mais numerosas as microcervejarias e brewpubs. Até mesmo os chefes renomados inserem a cerveja no menu.

Bastaram poucos anos, menos de 15, e a cerveja artesanal italiana conseguiu conquistar o paladar dos consumidores. Até recentemente, para encontrar uma cerveja decente, era necessário procurar uma loira ou uma vermelha belga nos raros pubs administrados por proprietários entusiasmados e competentes. Hoje em dia são abertas novas cervejarias em todas as cidades, e existe cada vez mais atenção dos produtore; a cerveja italiana compete com aquela produzida nos países com tradição muito mais antiga. Os rótulos artesanais marcam presença na lista de vinhos de restaurantes famosos, enotecas e wine bars. São organizadas degustações, cursos culturais, grandes eventos nacionais ou internacionais. Também a mídia estrangeira evidencia a Itália e suas cervejas artesanais, elogiando as grandes realizações.

As principais regiões em relação ao número de plantas produtivas são a Lombardia e o Piemonte, mas as microcervejarias são o fenômeno mais interessante do setor. Em 9 anos o número triplicou e atualmente encontramos 550 pequenas empresas que, em 2016, produziram mais de 15 milhões de hectolitros de cerveja.

Considerando o catálogo de produtos, salientamos que a maioria desses pequenos estabelecimentos prefere a versão da garrafa para todas as cervejas, e que 21% evita encher barris ao custo de não tê-las disponível entre aquelas presentes em um pub. Isto ocorre para haver a própria marca, o próprio rótulo, e utilizar ao máximo a força comunicativa.

Há pouco mais de dez anos após o surgimento da cerveja artesanal, podemos falar sobre um verdadeiro Made in Italy sempre crescente e à procura de novas possibilidades.