Pages Navigation Menu

Paciência e alguns conhecimentos essenciais para ler rótulos

Como escolhemos um produto no supermercado? Marca, design, preço, lealdade? Cada um de nós possui uma estratégia própria ao fazer compras no supermercado, mas sabemos colocar no carrinho o melhor produto para a saúde? A resposta está escrita nos rótulos dos alimentos, um instrumento indispensável que nos orienta entre as prateleiras, mas nem sempre de fácil compreensão.

Segundo o jornalista e especialista Enrico Cinotti, devemos evitar seis aditivos principais:

  • Alérgenos. No rótulo, deve estar diferenciado dos outros ingredientes “por dimensão, estilo ou cor.” Os mais conhecidos são leite, cereais que contêm glúten, ovos, soja e frutas secas. Mas também os sulfitos no vinho.
  • Edulcorantes. São os substitutos do açúcar. Menos calorias para enganar o esportivo atento mas mais problemas para a saúde. Escondem-se atrás das siglas E951 aspartame, acesulfame K, sucralose E955.
  • Intensificador de sabor. Como o glutamato de sódio (E621), que é adicionado aos alimentos para disfarçar os defeitos de qualidade.
  • Corantes. Alguns são inofensivos e servem apenas para tornar os alimentos mais atraentes. Outros são prejudiciais, como o amarelo quinoleína (E104), o vermelho allura (E129), o dióxido de titânio (E 171) e o alumínio (E173).
  • Conservantes. Ajudam a evitar a proliferação de microrganismos, mas é bom não abusar desta substância. É o caso do nitrato de potássio (E252), nitrito de potássio (E249) e do nitrito de sódio (E250).
  • Aromas. Normalmente colocados no fundo da lista. Há mais de 3.000 qualidades sintetizadas em uma única palavra insuficiente.